Mensagem do Prelado (7 de julho de 2017)

Deus espera dos cristãos que levemos o Evangelho a todos: na sua pureza original e na sua novidade radiosa, com fidelidade e com audácia.

Cartas pastorais e mensagens
Opus Dei - Mensagem do Prelado (7 de julho de 2017)

Rezando em Fátima com todos vós, recordava diante da nossa Mãe do Céu alguns dos desafios do nosso mundo, tão complexos como apaixonantes. O que espera o Senhor, hoje, de nós os cristãos? Que sejamos capazes de sair ao encontro das inquietações e necessidades das pessoas, para levar o Evangelho a todos na sua pureza original e, simultaneamente, na sua novidade radiosa. Duas cenas de pesca no mar de Tiberíades, nas quais se pressente o navegar dos cristãos ao longo da história, traçam as coordenadas desta missão: o convite vigoroso do Mestre a ser audazes – «faz-te ao largo» (Lc 5, 4) –, e aquele «é o Senhor!» do discípulo amado (Jo 21, 7), reflexo da fidelidade atenta e delicada que permite reconhecer Jesus.

Fazer-se ao largo no mar do mundo não significa adaptar a mensagem ou o espírito às conjunturas do momento, porque o Evangelho já contém, em si mesmo, a capacidade de iluminar todas as situações. Trata-se antes de um chamamento a que cada um de nós, com os seus recursos espirituais e intelectuais, com as suas competências profissionais ou a sua experiência de vida, e também com os seus limites e defeitos, se esforce por descobrir os modos de colaborar mais e melhor na tarefa imensa de colocar Cristo no cume de todas as atividades humanas. Para isto, é preciso conhecer profundamente o tempo em que vivemos, as dinâmicas que o atravessam, as potencialidades que o caracterizam, e os limites e as injustiças, algumas vezes graves, que o afetam. E, sobretudo, é necessária a nossa união pessoal com Jesus, na oração e nos sacramentos. Assim, poderemos manter-nos abertos à ação do Espírito Santo, para bater com caridade à porta dos corações dos nossos contemporâneos.

Enxomil, 7 de julho de 2017